sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Condicionador

    Nunca fomos de ter lugares pra fazer sexo. Em qualquer lugar dávamos um jeito de transar. Mas o chuveiro sempre foi um tabu. Não por preconceito ou trauma, mas por seu pênis ser muito grande, e com a água não termos lubrificação suficiente e machucava.
    Numa arrumação normal de casa (sim, ele me ajudava a limpar a minha casa), nós nos esbarramos e pegamos fogo, mas estávamos extremamente envergonhados por estarmos sujos e suados. Corremos ao banho, nos engalfinhando pelo caminho, entre beijos e tirar de roupas.
    Entramos no box, ele me jogou contra a parede para me penetrar por trás, e ligou o chuveiro, esquecendo que isso impediria a penetração.
    Realmente, ele ajeitou de um jeito, de outro, mas não conseguíamos. Então foi onde ele viu o tubo de condicionador. Não hesitou: encheu sua mão de condicionador, colocou na cabeça do seu pênis, e me penetrou com facilidade. Fiquei ali, com a cara amassada contra a parede, aquele cheiro de condicionador no ar, e ele me comendo ensandecido por trás.
Quando ele finalmente gozou, ficamos uns dez minutos abraçados, em silêncio. E a água, que até então era inimiga do nosso prazer, ficou nos acalentando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário